O papel do pai no processo da gravidez e parto

A chegada de um filho acarreta alterações a nível do casal. Deixou de ser “coisa de mulheres” para passar a ser uma fase da vida vivenciada a dois. O casal, particularmente o homem, tornou-se mais consciente da transição que ocorre nas suas vidas, procurando assim ter a sua própria experiência pessoal. Esta experiência não é despoletada por alterações hormonais ou corporais, mas por uma transformação pessoal e social que poderá ser tão grande quanto a da sua companheira. Mas, tal como a mãe, o pai também vivencia os medos, duvidas e desejos relativamente esta fase. O pai passa assim para primeiro plano no acompanhamento da sua companheira contribuindo para que se estabeleça desde muito cedo laços afetivos e um desenvolvimento saudável do bebé.

Sendo um elo importantíssimo em todo o percurso, a melhor forma de o pai o vivenciar é frequentando aulas de preparação para o parto e parentalidade. Estas vão proporcionar uma atitude proactiva em todo o processo, ajudando-a na tomada de decisões e torná-lo confiante, calmo, paciente, interpretando as reações da sua companheira durante esta jornada. Para além disto, vai poder partilhar receios com outros pais que estão a passar pelas mesmas dificuldades e “desventuras”.

Do mesmo modo, ao conhecer a Enfermeira Parteira, o pai vai esclarecer duvidas e sentir-se capaz para acompanhar a mãe quando a dor se instalar, ficando feliz porque se iniciou a fase para o encontro com o seu filho. Vai treinar o acompanhamento e apoio à mãe, tendo consciência do que é esperado de si para estar dentro da “ação principal”. Por exemplo, ao lembrar à mãe o tipo de respiração que deve fazer ou a massagem que lhe pode proporcionar para alívio da dor, está a gerir, a conduzir todo o percurso que a mulher deve fazer para que o parto seja um momento único e magico na vossa vida. Vai sentir-se apto para cuidar do seu bebé, sem medo e sem receios, vai saber dar o banho, acalmá-lo através de massagem ou através da técnica dos 5Ss.

É necessário saber que a amamentação poderá ser difícil nos primeiros dias, mas o pai ficará capacitado para atuar e apoiar a mãe, permitindo que a decisão tomada seja um sucesso, contribuindo para o bom desenvolvimento do seu filho. Sabe que muitas mães referem que o apoio incondicional do pai foi crucial para a plenitude da vivencia da gravidez, passando pelo parto até ao estabelecimento da amamentação? 

Por fim, é pertinente que o pai faça uma visita guiada, junto com a mãe, à maternidade onde pretendem que o filho nasça. Além disto, o pai também deve ser responsável por uma pequena lista do que levar para a maternidade:

Recurso audiovisual (ouvir uma música que aprecie, vai ajudá-los a relaxar. E pode ser o primeiro a fotografar o seu filho).

  • Revista/livro;
  • Garrafa de água;
  • Rebuçados (sem açúcar, podendo partilhar com a mãe);
  • Manta de viagem (no quarto vai ser útil para descansar);
  • Uma mala cheia de disponibilidade, apoio, sorrisos e paciência q.b.

Lembrete: sorria, viva intensamente cada momento, pois o tesouro da sua vida está prestes a chegar!

 

 

Carla Henriqueta

Enfermeira Parteira

mim - Clínica do Desenvolvimento