Como gerir os desconfortos da gravidez?

A gravidez pressupõe alterações hormonais que afectam bastante o tracto gastrointestinal, tornando a digestão mais lenta e dificultada, e o trânsito intestinal mais difícil, ou em certos casos, até mais regular do que era antes da gravidez. Mesmo com o devido peso das excepções à regra, vou tentar dar-lhe algumas dicas para a gestão dos desconfortos frequentes e assim melhorar a sua experiência nesta primeira fase da maternidade.

As náuseas/enjoos e os vómitos são mais frequentes no primeiro trimestre de gravidez, podendo condicionar a alimentação da grávida por levaram a uma perda de apetite. No entanto, isto não irá influenciar de forma negativa a nutrição do bebé. Neste campo é o estado nutricional da mulher antes de engravidar, que terá um papel fulcral e um maior impacto no desenvolvimento e formação do feto.

Para conseguir gerir estas situações sugiro algumas estratégias:

  • Dê preferência a alimentos cozidos e grelhados, em detrimentos de outras confecções com um pouco mais de gordura;
  • Fracione as refeições, de forma a não estar muitas horas sem comer (comer de 2 a 3 horas);
  • Se tiver enjoos matinais comece por comer um kiwi ou papaia juntamente com pão torrado ou tostas;
  • Beba água ao longo do dia, de forma gradual;
  • Evite alimentos muito condimentados, com aromas fortes ou com muita gordura;
  • Quando estiver com náuseas coma algo seco, como pão torrado ou tostas.

A azia é um sintoma frequente depois das refeições, especialmente almoço e jantar, por serem refeições com maior volume. As alterações hormonais e o crescimento do bebé provocam um relaxamento do esfíncter esofágico inferior e possibilitam o refluxo de conteúdo gástrico para o esófago causando esta sensação de ardência e de desconforto.

Para evitar os episódios frequentes sugiro:

  • Evite ficar muitas horas sem comer, comendo diversas vezes ao longo do dia, de forma a reduzir o volume das refeições;
  • Coma devagar e mastigue bem os alimentos;
  • Retire a fruta do final da refeição, para facilitar a digestão, colocando-a noutra altura do seu dia;
  • Evite deitar-se logo a seguir à refeição, como acontece com o jantar;
  • Limite o consumo de bebidas gaseificadas (ex. água com gás) e bebidas com cafeína (ex. café ou chá preto);
  • Evite refeições muito condimentadas, picantes e alimentos fritos ou gordurosos;
  • Tente descobrir se existe algum alimento em particular que lhe esteja a provocar azia, para assim evitar comê-lo ou caso seja algum alimento essencial, arranjar uma forma de o comer sem ter desconforto.

Por último, o desconforto mais comum é a obstipação que por norma aparece a partir da 20º semana de gestação. Deve-se tentar, numa primeira fase, através da alimentação melhorar o trânsito intestinal uma vez que não está recomendado o uso de laxantes. Estes só poderão ser utilizados numa fase posterior, quando já nada resultou e apenas com supervisão médica.

Para ajudar no trânsito intestinal através da alimentação sugiro que:

  • Coma diariamente alimentos ricos em fibra, como hortícolas (saladas cruas e legumes cozinhados), frutas e cereais integrais (tostas, pão integral ou misturam);
  • Coma sopa com mais frequência porque, além de ser constituída por diversos legumes é rica em água;
  • Coma leguminosas como os diferentes tipos de feijão, o grão-de-bico e as favas, com mais regularidade;
  • Coma iogurtes ou leites fermentados, como o kéfir, pois são alimentos ricos em microorganismos vivos que ajudam a regular o trânsito intestinal;
  • Beba água diariamente, cerca de 1,5L;
  • Pratique exercício adaptado à gravidez, de forma regular.

Para ter uma orientação alimentar mais personalizada e individualizada procure uma nutricionista para esta a ajudar a gerir melhor os desconfortos que tem, além de lhe definir e adaptar o plano alimentar ao trimestre da gestação em que se encontra.

 

Ana Rita Lebreiro

Nutricionista